Configurações de Acessibilidade.
Letras: 
Aumentar Letras. Diminuir Letras.
Traduzir texto para Libras.
     Cores: 
Mudar a cor para branco.
Mudar a cor para Laranja.
Mudar a cor para Vermelho.
Mudar a cor para Amarelo.
Mudar o idioma para Português
 Português
Mudar o idioma para Inglês
 Inglês
Mudar o idioma para Sueco
 Suéco
Mudar o idioma para Alemão
 German
Vídeo.
Pensão


Pensão



PROCEDIMENTOS PARA A PENSÃO DA SÍNDROME DA TALIDOMIDA

Existe a pensão por danos físicos (leis 7070 e 8686), estão todas no site www.talidomida.org.br.

A pessoa deve solicitar a espécie 56 junto ao INSS mais próximo de sua residência, levando 2 fotos (frente e costas em traje de banho, radiografias das partes atingidas, outros exames caso tenha outras deficiências (visão, audição, órgãos internos), documentos pessoais (RG, CPF, comprovante de residência).

Protocolar tudo e aguardar a perícia e os médicos geneticistas credenciados do INSS que irão deferir ou indeferir, conforme cada caso.

Por favor, antes de dar entrada no pedido da pensão, leia as informações leia abaixo:

• As indenizações por danos morais só serão pagas aos que recebem o benefício da lei 7070

• A talidomida tem por característica BILATERALIDADE E SIMETRIA, normalmente a Talidomida não afeta isoladamente um dos membros.

• Podem acarretar também outros problemas como visão, audição, órgãos internos, mas em conjunto com membros.

• Existem inúmeras síndromes que se confundem a síndrome da Talidomida, ( Poland, Brida aminiótica, Greber, Erictrodactilia, Roberts, Holt Oram, Pseu-tali, etc).

• Ela não passa deficiência para os filhos das vítimas.

• O INSS só reconhece os nascidos a partir de janeiro de 1957.

Após o ano de 1965 a droga estava sendo ministrada para hanseníase.

Se leu tudo e ainda tem dúvida da sua deficiência, pode nos enviar uma foto no email abpstalidomida@uol.com.br e responder:

1.    Idade da pessoa
2.    Motivo que a mãe tenha tomado a droga
3.    Informações se existem consangüinidade familiar
4.    Alguém na família fez tratamento para hanseníase

Ou ainda, consulte diretamente o portal do Ministério da Previdência Social acessando:


Telefone: +55 (11) 5562.4922     E-mail: talidomida@talidomida.org.br